segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

eu #5

Como já deve ter dado para reparar, eu sou muito mais emotiva do que racional. Quando os sentimentos e emoções estão à flor da pele, sou de explosão fácil. Digo as coisas sem pensar e isso já me trouxe alguns dissabores.

Admiro muito o agridoce júnior 1 por em momentos de tensão e conflito ele conseguir ser racional, naquele preciso momento. Por ele conseguir ver as coisas com calma. Por ele, mais novo do que eu, chamar-me à terra e dizer "Calma!".

Porque faz parte da vida, fui aprendendo a controlar esta minha forma de agir. Confesso que, às vezes, não é nada fácil, mas consigo contar até 10 (bem, talvez 100) antes de abrir a boca e as coisas saem menos mal, pois enquanto conto, a cabeça controla o coração. Assim como também já consigo (não) responder a emails e guardá-los nos rascunhos... Mails do género "Vai à merda" ou pior. Ignorar, tentar não dar importância a quem não a tem.

Depois há as outras alturas em que quero dizer as coisas, mas não sei muito bem como, porque ou não encontro as palavras certas, ou quero dizê-las de forma bem clara, ou simplesmente não as digo com medo... medo da reacção de quem as vai ouvir.

Isto tudo para dizer que ando num dilema interior. Não sei se diga, não sei se quero dizer, não sei se quer ouvir, não sei se quero admitir, não sei se o melhor é... partir a louça toda de uma vez por todas!


Sem comentários:

Enviar um comentário

Cenas que te passaram pela cabeça, quando leste as minhas cenas!!