quarta-feira, 16 de outubro de 2013

o amor é fodido

Ainda não acabei o livro porque tenho andado distraída com outras coisas. No entanto, dou por mim a ler e a pensar que o amor é capaz de nos deixar completamente loucos. Não é novidade, claro que não. A novidade é a perspectiva que tenho ao lê-lo pela segunda vez, passados uns 15 (deve ser isso…)  anos da primeira leitura. 

O amor é louco, doido, desvairado, cego, ingénuo. É arrebatador. Faz-nos descer do céu ao inferno em segundos (ou ao contrário, que eu não sei o que vem primeiro!). Tanto nos faz rir à gargalhada, como largar a chorar (e não, não se aplica a mim uma das passagens que aqui já escrevi). É sentir borboletas no estômago ou um nó no coração. O amor é de extremos. É luz ou escuridão. Razão também tinha o outro: é um contentamento descontente!

Resumindo e concluindo: é fodido! Mas é muito bom!!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Cenas que te passaram pela cabeça, quando leste as minhas cenas!!