sexta-feira, 21 de março de 2014

...

Eu sei o que custa. 

Eu sei o que é vir estrada fora, a pensar que vir para casa é doloroso, que significa que o sossego acabou. Não que houvesse discussões, gritos, mas simplesmente porque às vezes era melhor estar sozinha do que acompanhada. Porque o silêncio e o desprezo também magoam.

Eu sei o que é vir para casa, sem vontade nenhuma de o fazer.

Eu sei o que custou admitir  a mim mesma que aquele não era o caminho. Sei que há pessoas que demoram a chegar ao seu limite, que aguentam até mais não, que se matam por dentro... Até ao dia em que, finalmente, ganham coragem.

Eu sei o que aquela pessoa sente. E espero que, um dia, tenha a coragem para seguir o seu caminho e ser feliz. 


4 comentários:

  1. Respostas
    1. Meses e meses, Suri... Mas mais vale tarde do que nunca!

      Eliminar
  2. Todos temos limites distintos, mas todos os temos, de facto. É uma questão de tempo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais, CM. É uma questão de tempo.

      Eliminar

Cenas que te passaram pela cabeça, quando leste as minhas cenas!!