segunda-feira, 30 de junho de 2014

da vida

estou para aqui com um nó no coração, no estômago... enfim, por todo o lado.
 
os últimos dias têm sido vividos com um misto de emoções e sentimentos.
 
e, de vez em quando, lá vem a vida (e a morte) lembrar-nos que não somos invencíveis, muito menos imortais. somos nada...
 
hoje o meu dia terminará no funeral... de uma criança.
 
Deus, eu não te costumo chatear... mas vê lá se podes, de alguma forma, dar conforto aquela família...