quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

dos sítios e das memórias

hoje fui, com a minha mãe, à aldeia dela. 

a minha avó está há uns meses largos em casa dos meus pais. a casa dela está à venda e aos poucos vamos tirando de lá coisas, antes que os amigos do alheio o façam. de lá já tenho algumas coisas, que há muitos anos já dizia que queria ficar com elas. e mais vale a minha avó dar-mas enquanto é viva, antes que haja confusão um dia mais tarde ou que as levem.

uma das coisas que está cá em casa, há um ano, é um relógio antigo, daqueles de corda. mas, por incrível que pareça, não suporto o barulho dele. apesar de ficar bem naquela parede, este não é o sítio dele, não é o sítio ao qual eu o associo cada badalada. a minha mãe sentiu exatamente o mesmo.

é verdade que já lá não ia há muito tempo. de facto, é mesmo isso: uma casa. as memórias daquela casa continuarão vivas, por mais anos que passem. quer eu lá vá, quer não. porque as memórias fomos nós que as fizemos, a família. ir lá é recordar, sorrir. 

ir lá é continuar a ter o mesmo sentimento quando entro no quarto onde o meu avô morreu. 19 anos depois, a sensação é a mesma.

uma casa é só uma casa. as memórias somos nós que as fazemos, seja em que casa for. 


sábado, 26 de dezembro de 2015

estou toda trocadinha...

tenho de pensar várias vezes... não estou a acertar à primeira com o dia da semana de hoje.

espero que todos tenham tido um feliz natal.

eu vou ali descansar que daqui a pouco tenho um jantar de aniversário.

bom fim de semana.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

2015 a dar as últimas

tenho a sensação que este ano passou num piscar de olhos. e, no entanto, tanto coisa aconteceu.

à semelhança do que fiz num outro ano qualquer, hoje apeteceu-me começar este post. não sei se voltarei a ele, se lhe acrescentarei coisas. por enquanto, vai ficar assim. 

vamos a isto. em 2015:

- sofri durante três horas, até receber a sms que dizia "já nasceu. está tudo bem!". fui tia! percebi mais tarde que quando postei o primeiro, a cachopa já tinha nascido!

- vi, finalmente, Florence & The Machine.

- na semana anterior, fui, num instante, ao Alive ver Muse.

- há uns dias, fui ver David Fonseca.

- tive férias como sempre: programadas de acordo com as obrigações profissionais, que não me deixam ter 3 semanas de férias seguidas. ou 4.

- babei (e ainda babo) com o meu irmão a cuidar da filha. e com o sorriso dela!

- fiz uma das viagens dos meus sonhos que, graças à TAP, se realizou mais depressa do que imaginava.

- num momento de loucura, disse-lhe que sim. calma! ;) e abri-lhe a porta de minha casa. por falar nisto, podias pensar em fazer um "crónicas, um ano depois". eu sei, eu sei... sou doida!

- preocupei-me com a ausência de alguns bloggers. o que me faz lembrar que estou a dever uma resposta ao Roger (não está esquecido!).

- voltei a dar aulas numa escola profissional. a adolescentes. continuo a ter a certeza que o karma é fodido: sofro por tudo o que fiz aos meus professores. :)

- no meu ombro chorou a namorada do meu irmão. o que não foi necessariamente mau, já que fortaleceu muito a nossa amizade. foi uma das companheiras da viagem relâmpago ao Alive.

- continuo a acreditar que é possível haver um "nós"... mesmo quando me apetece desistir.

- pensei, pensei, pensei e avancei: fiz uma tatuagem.


- voltei a ir ver os jogos de futsal dos meus irmãos. chegou ao ponto de comprar uma t shirt do clube, de ir atrás da equipa aos jogos decisivos!

- fui escrevendo cada vez menos no blog. continua a haver uma linha que o separa da minha vida. o que é engraçado, tendo em conta ali aquilo de cima e o facto de há dias ter tido uma fotografia da tatuagem aqui. que, por acaso, mas só por acaso, era igualzinha à que tenho no facebook.

- troquei emails com a Pseudo, A Chata, o SOG, a Geri, a Sci, a Suri (quando voltas?), o Roger, o Observador. sem medo, acabei a assinar os mails com o meu nome. Se bem que daquela lista há quem saiba muito sobre mim! E outros há que são praticamente meus vizinhos. ;)



- ajudei a preparar uma festa surpresa. contrariada, é certo. mas fi-lo por ela e não pelo aniversariante.  infelizmente, o tempo comprovou a minha contrariedade.

- faltei ao ajuntamento da malta do curso. Nesse dia andava em Newark. Prioridades.

- depois desta, já voltei a ter outra... chamei cuscos aos meus vizinhos. Pelo menos confirmei uma suspeita de divórcio, de uns vizinhos que passavam a vida a discutir. de outro prédio. sim, ouvia na minha varanda e dentro da cozinha quando tinha as janelas abertas.

concluindo e resumindo: ri, chorei... vivi!


quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

olha-me esta...

olha-me esta gaja, com uma cena igual à minha...


Foi-se a foto.



perdido por cem, perdido por mil...

amanhã apago isto.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

ontem percebi

que há 5 anos andava a começar a hiperventilar com as cenas do mestrado.

às vezes sinto saudades... das aulas, do convívio... não, não tenho tempo para isso.